Como usar o estilo Tomboy no Verão?

Olá!!!

Hoje vou escrever sobre um estilo que gosto particularmente e com o qual me tenho identificado cada vez mais, o estilo Tomboy! Hoje escrevo com um gostinho especial pois na quarta-feira uma amiga muito especial, a Elsa, disse-me que sentia falta dos meus artigos… encheu-me o coração, e por isso mesmo escolhi este tema que sei que ela também gosta!! A todos os meus leitores que são tão especiais para mim espero que gostem e espero que nos próximos tempos consiga estar estar mais presente para todos vocês…

Quanto ao estilo Tomboy, para quem não conhece é uma forma de vestir que mistura de maneira divertida mas também ecléctica o feminino e o masculino através de camisas, blazers, calças de alfaiataria entre outras peças caracteristicamente masculinas.

Não é de hoje que o ideal andrógino passa pelas semanas da moda por este mundo fora, seja nas passarelas ou por quem as assiste. Além de ser um estilo muito confortável, perfeito para as mais diversas ocasiões, confere glamour e elegância ao visual, o ideal é aprender a combinar estilos sem transformar o guarda-roupas em algo totalmente masculino. Para isso as possibilidades são imensas e podemos ainda abusar da criatividade e bom humor para combinar as peças, criando visuais fabulosos e com aquele toque moderno que vaga entre o retro e o actual.

Alguns factores influenciaram o nascimento da moda Tomboy, como a segunda guerra mundial e o aparecimento do automóvel por exigirem das mulheres da época um comportamento mais independente e prático, que as saias não conferiam. Porém foi entre 1910 e 1920 que ele definitivamente nasceu, pelas mãos de Gabrielle “Coco” Chanel, uma mulher moderna e à frente do seu tempo que por não encontrar roupas que quisesse vestir acabava por recorrer ao roupeiro do namorado. Nesta altura Coco Chanel tinha uma loja de chapéus e era imitada por muitas mulheres da região onde morava, o que ajudou a que ela começasse a produzir vestidos, criando uma das marcas mais famosas de todos os tempos, a Chanel.

Na década de 30, Marlene Dietrich também ousou, alcançando a fama ao criar looks boyish e nos anos 50 o estilo Rockbilly trouxe as calças cigarrete, mas foi nos anos 60 que surgiram os primeiros smokings femininos graças a Yves Sant Laurent e que continuam na moda até aos nossos dias.

Para quem gosta do estilo partilho algumas imagens que de certeza vos vão inspirar!!

 

Como conseguir recriar este estilo?

Para quem gostar do estilo e quiser experimentar para ver se gosta de se ver e se identifica eu sugiro uma coisa muito simples, experimentem algumas peças de roupa do vosso marido, namorado, irmão, amigo, o que tiverem =). Atrevam-se a experimentar camisas, t-shirts, casacos de malha e mesmo camisolas leves, o ideal é que sejam um pouco maior do que a vossa estatura, para criar aquele look cool e despreocupado. Eu próprio uso algumas t-shirts e camisas do Pedro, e ficam-me tão bem que fica difícil devolver, mas ele já se habituou =)… Depois basta adicionar uns ténis, sapatilhas, sapatos oxford, ou mesmo uns saltos altos se quiserem criar contraste. A essência deste estilo é continuarmos a ser femininas, apenas com detalhes do guarda-roupa masculino.

Para não caírem no erro de parecer demasiado “rapazinho” em vez de uma mala muito grande podem usar uma clutch ou uma bolsa pequena a atravessar, dêem um toquezinho de maquilhagem (sempre), o cabelo arranjado e claro, uma atitude confiante e feminina!!

 

Get the look by Bellucci:

 

With Love*

Tânia Sitoe

Colecção Vans X Charlie Brown (Peanuts)

Olá a todos!

Estou em pulgas!!! Para os fãs da Vans, como eu, e que tambem adoram o Charlie Brown está pode ser a noticia do dia!! A nova colecção da Vans é para quem sempre quis ter os Peanuts nos pés e é fã destes destes desenhos animados. As ilustrações de Charles M. Schulz saltaram para os ténis da marca, dando nova vida às ilustrações clássicas dos anos 60, 70 e 80.

Além dos clássicos ténis da marca, as personagens de “Peanuts” podem ser encontradas também em peças de vestuário como camisolas, calças, meias, casacos, bonés e óculos de sol, entre outros, com Snoopy, Charlie Brown e os seus amiguinhos.

De acordo com a marca, a colaboração Vans x Peanuts combina “os elementos ‘Off The Wall’ com os icónicos momentos de ‘Peanuts’ que são fiéis à estética original de Vans”. A colecção já está disponível nas lojas oficiais da Vans em Portugal e na loja online da marca.

Eu PRECISO ter estes ténis!!! Não são lindos?!?!

 

Fiquem encantados com o resto… Eu estou in Love!!

 

Ultimate Responsive Image Slider Plugin Powered By Weblizar

 

Fonte: Vans Página Oficial

 

With Love*

Tânia Sitoe

Lançamento Colecção Resort Roselyn Silva SS 17

Olá a todos!!

Foi na passada 5f dia 25 de Maio que tive o prazer de assistir ao lançamento privado da colecção Resort Spring/Summer 17 da marca Roselyn Silva. Foi com muito gosto que recebi este convite da parte da Catarina Rito e confesso que fui com altas expectativas não só pelo que esperava ver no desfile mas também pelo facto de ser num iate!! Para além de conhecer pessoalmente e gostar muito da Roselyn como pessoa adoro o trabalho dela!!!

O desfile decorreu no iate  Kuriakos – London que estava atracado na Marina de Cascais. Ainda com o barco na marina já se tem uma vista lindíssima de toda aquela zona de costa.

Depois de estarem a bordo todos os convidados o iate saiu da marina, como coincidiu com a hora do pôr-do-sol a luz estava linda. O ambiente era super descontraído, aquilo a que costumamos chamar de “boa onda”….

Já bastante afastados da marina começou o desfile… Como esperava, a colecção estava maravilhosa. Super verão, remetendo-nos para um resort longínquo, quente, de cores vivas e boas vibrações, que é tudo o que procuramos  quando estamos de férias. Sendo a capulana a imagem de marca da Roselyn, o print africano estava presente em todas as peças da forma elegante a que estamos habituados ver nas suas criações. A colecção é bastante diversa desde as maravilhosas saias que todas nós adoramos passando pelos vestidos, kimonos, fatos de banho, bikinis, calções e blazers masculinos…

Vou partilhar algumas fotografias do desfile para ficarem com curiosidade!! Convido todos os fãs desta jovem e talentosa designer e todos aqueles que não a conhecem a fazerem uma visita ao atelier dela na Rua Castilho, em Lisboa. Não deixem de conhecer de perto a nova colecção que foi ali lançada, não se vão arrepender, ou então vão, mas por outros motivos, porque de certeza que não vão conseguir comprar só uma peça… =)

 

With Love*

Tânia Sitoe

 

8 Hábitos que Aceleram o Envelhecimento da Pele

Olá a todas!!

Hoje vou falar de uma coisa que preocupa todas as mulheres –  aparência da sua pele. Umas mais que outras, mas no geral, mesmo com algum desleixo, todas gostamos de olhar para o espelho e ver a nossa pele bonita e com um aspecto saudável. A verdade é que com o passar dos anos os cuidados com a pele devem ser ainda mais intensos. Rugas, linhas de expressão, flacidez e falta de luminosidade tornam-se os principais inimigos da pele com o avançar da idade. Entretanto de pouco vale gastar rios de dinheiro em milhares de cremes e tratamentos estéticos se não mudarmos alguns hábitos no nosso dia-a-dia…

Cigarro, stress e demasiado açúcar estão no topo da lista de hábitos que causam o envelhecimento precoce da pele. A seguir, vou partilhar convosco os principais maus hábitos que favorecem o envelhecimento precoce da pele. Stay tuned…

1. Cigarro

A constante absorção de nicotina prejudica a circulação do sangue na pele, tornando-a ressecada e sem a humidade natural produzida pelo organismo.

2. Stress

Quando o stress se torna crónico, tem repercussões biológicas que afetam a pele, acelerando visivelmente o seu envelhecimento: pele com menos brilho, mais fina, com menos elasticidade e com o aparecimento de linhas finas, rugas e manchas de idade, flacidez. Outro dano colateral é a redução da quantidade de colágeno produzida pelo corpo, o que faz a pele perder sua elasticidade.

3. Excessiva Exposição ao Sol

O sol é importante para a saúde, pois a partir dele o corpo pode obter a vitamina D, essencial a muitas funções do organismo. Entretanto, a exposição solar exagerada e sem protecção, ao longo da vida, pode aumentar os riscos de manchas e cancro de pele.

4. Produtos Inaqueados

Usar produtos inadequados para o seu tipo de pele ou produtos corporais na face pode, muitas vezes, prejudicar a região.

Isso acontece porque algumas formulações são muito agressivas, alteram o pH natural, ressecam a pele ou o contrário, estimulam a oleosidade do local, obstruindo poros e causando manchas, acne e até escamação.

5.Dormir Pouco

Durante o período do sono o nosso organismo realiza funções importantíssimas com consequências diretas na saúde.

O sono fortalece o sistema imunológico, consolida a memória, deixa a pele mais bonita e saudável, além relaxar e descansar a musculatura.

6. Não Tirar a Maquilhagem

Se a limpeza da pele no fim do dia não for bem feita, removendo totalmente a maquiagem, os resíduos vão obstruir os poros e impedir que o tecido fique oxigenado. Sem poder respirar, a pele fica oleosa e sem vida. Podem ainda surgir ainda borbulhas e mesmo acne.

7. Má Alimentação

A alimentação é essencial na hora de cuidar da pele.

Alimentos ricos em nutrientes, vitaminas A, C, E e coenzima Q10 reduzem os radicais livres e atuam na produção de colágeneo e elastina. Na falta desses antioxidantes e da hidratação adequada, a pele fica mais flácida e as marcas surgem.

8. Excesso de Alcoól

Não precisamos evitar aquela taça de vinho durante o jantar, já que ele contém uma importante ação antioxidante. Porém, vale ressaltar que o excesso de bebidas alcoólicas barra a absorção de vários nutrientes e provoca o aumento dos terríveis radicais livres.

 

Parece muita coisa, mas muitas destas dicas são muito fáceis de aplicar. E no fundo sabemos que estamos a fazer bem não só à nossa pele, mas também ao nosso corpo!!

 

With Love*

Tânia Sitoe

 

12 Destinos Pelo Mundo para Apreciadores de Chá

O chá é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Se há muitos séculos começou por ser utilizado para uso medicinal, hoje é apreciado por milhares de pessoas das mais diferentes culturas, idades ou classes sociais.

A história do chá remonta há mais de cinco mil anos, na China. Posteriormente, o Japão começou também a consumir esta bebida e, mais tarde, chegou a vez da Europa. Portugal foi o primeiro país europeu a beber chá, trazido do oriente pelos seus navegadores.

Seguiram-se os holandeses, os primeiros a importar o chá da China, no início do século XVII. Em 1652, Catarina de Bragança (filha do Rei D. João IV e de D. Luísa de Gusmão) casou com Carlos II de Inglaterra, e apresentou-lhe a sua bebida preferida – o chá. Foi ela quem introduziu a tradição inglesa do chá. Depois de se ter espalhado pelos quatro cantos do mundo, esta bebida preparada através da infusão de folhas, flores e raízes de planta do chá comprovou os seus benefícios para a saúde e apaixonou milhares de pessoas.

Conheça 12 destinos para apreciadores de chá na Galeria.

12 Destinos para Apreciadores de Chá

1. Turquia

1. Turquia

2. Marrocos

2. Marrocos

3. China

3. China

4. Rússia

4. Rússia

5. Índia

5. Índia

6. Sri Lanka

6. Sri Lanka

7. Myanmar

7. Myanmar

8. Singapura

8. Singapura

9. Malásia

9. Malásia

10. Japão

10. Japão

11. Quénia

11. Quénia

12. Inglaterra

12. Inglaterra

Ultimate Responsive Image Slider Plugin Powered By Weblizar

 

  1. Turquia

Quando se trata do maior país do mundo a consumir chá, nenhum outro ultrapassa a Turquia: a sua população bebe o equivalente a quatro ou cinco chávenas por dia. O chá faz parte da cultura turca, por isso os seus apreciadores terão inúmeras oportunidades de o provar. Aliás, a hospitalidade turca obriga a isso mesmo – servir chá aos seus hóspedes. Se, por acaso, optar por ficar numa guesthouse o chá acompanhará, sem dúvida, as refeições. Os turcos gostam do seu chá preto e doce, servido num copo em forma de tulipa.

  1. Marrocos

Os apreciadores de chá ficarão fascinados pela arte da preparação do chá em Marrocos. O seu famoso chá de menta – o chamado Berber Whiskey – feito com chá verde, hortelã fresca e açúcar. Tradicionalmente, o chá é preparado e servido pelo homem de família, e muitas vezes considerado uma tradição a ser transmitida de geração em geração. Num país onde não se bebe álcool, o chá é o verdadeiro vício da sua população. Muitas riads (casas de hóspedes tradicionais) oferecem chá de hortelã aos hóspedes como forma de lhes dar as boas vindas.

  1. China

Com origem na China, o chá é «a» bebida chinesa. A tradição continua nos dias de hoje, existindo mais de dez mil tipos de chá . O preferido do povo chinês é o verde, mas terá oportunidade de provar muitas outras variedades. Os melhores locais para desfrutar de uma chávena desta bebida chinesa são as casas de chá omnipresentes encontradas por todo o país.

  1. Rússia

Graças ao seu clima frio, o chá é uma das bebidas preferidas da Rússia. Os hábitos de consumo de chá estão fortemente ligados à cultura tradicional russa – por exemplo, os russos exigem beber chá de uma espécie de chaleira tradicional, o samovar. O concentrado de chá, zavarka, é fermentado primeiro num pequeno bule, e depois diluído com água fervida do samovar. O chá é habitualmente servido após ou entre as refeições.

  1. Índia

Na Índia, o chá chai (chá preto com leite e especiarias) é consumido diariamente pelos seus habitantes. É vendido nas bancas de rua e nas estações de comboio, e servido nos restaurantes. Darjeeling é uma das cidades indianas preferidas dos apreciadores de chá. Opte por ficar entre as plantações de chá, aproveite para apreciar as vistas deslumbrantes sobre os jardins de chá e prove o chá aromático e delicado de Darjeeling. Outra paragem obrigatória é o Vale de Assam, muitas vezes referido como a «capital mundial do chá», graças à suas vastas plantações.

  1. Sri Lanka

O Sri Lanka é um dos maiores produtores e exportadores de chá preto e verde de todo o mundo. As plantações de chá nas montanhas de Kandy e Nuwara Eliya oferecem a possibilidade de provar as inúmeras variedades de chá cultivado no local e conhecer a complexidade da sua produção em primeira mão. Faça uma visita guiada por uma plantação, conheça as todas as suas instalações e termine o dia numa sala de degustação, onde poderá provar as novas variedades dos melhores chás de Ceilão que aí são fabricadas diariamente.

  1. Myanmar

Os birmaneses adoram chá. O chá verde é tão comum como a água, e o chá preto com leite condensado é um dos favoritos dos habitantes de Myanmar, sendo consumido de manhã e durante a tarde. Mas os birmaneses não bebem apenas o chá, eles também o comem. O lahpet – salada de folhas de chá fermentadas, tomate, sementes de sésamo, amendoins torrados e feijões crocantes – é uma das especialidades locais, que vai fazer com que aprecie ainda mais o chá.

  1. Singapura

Consegue sentir-se a influência inglesa na tradição do chá – Singapura foi uma colónia inglesa durante cem anos. Para além de ser servido nos melhores restaurantes do país, é também bebido durante a tarde, tal como o «chá das cinco», acompanhado de bolos.

  1. Malásia

Os malaios preferem chá forte, sendo que 80% do chá consumido no país é preto. O Teh tarik – chá preto, leite condensado e leite evaporado – é considerada a bebida nacional da Malásia. Habitualmente é servido aos visitantes para lhes dar as boas vindas, por isso terá oportunidade de provar as mais diversas variedades. Quando se fala de produção de chá na Malásia, a região de Cameron Highlands salta logo à vista. Localizada 1500 metros acima do nível do mar, nas montanhas do Titiwangsa, tem condições perfeitas para produzir chás fortes, saborosos e aromáticos.

  1. Japão

O Japão exporta apenas 2% das toneladas de chá produzidas no país. O chá é a bebida mais consumida no Japão e uma parte importante da cultura japonesa. Há inúmeros tipos de chá disponíveis no país, devorados pelo povo japonês que é um verdadeiro apreciador. O chá verde é o preferido da maioria e é servido muitas vezes de graça, durante ou depois das refeições. Os locais de cultivo mais conhecidos são Shizuoka, Kagoshima  e Uji. A «Cerimónia do chá», uma tradição japonesa, envolve a preparação e apresentação do matcha, um tipo de chá verde em pó.

  1. Quénia

O Quénia é um dos países que, para além de apresentar tours pelos safaris, oferece também visitas às cultivações de chá. O chá queniano é o principal produto exportado e a sua produção é uma das principais atividades, ao lado do turismo, da horticultura e da produção de café. A capital do chá é Kericho, que fica no sítio mais alto da Floresta de Mau.

  1. Inglaterra

O consumo de chá aumentou muito durante o início do século XIX, e foi mais ou menos nessa altura que Anna, a 7ª Duquesa de Bedford, se começou a queixar de ter fome entre o almoço e o jantar. Mais ou menos a meio tarde, lá para as 17h, pedia que lhe servissem chá, pão e manteiga. Este transformou-se num hábito seu e das suas amigas. Mais tarde, esta pausa para um chá acabou por se tornar um evento social e uma das grandes tradições inglesas. O chá faz, ainda hoje, parte do dia a dia dos ingleses, no Reino Unido.

 

Artigo Publicado em: Volta ao Mundo

Por Mafalda Magrini – Fotografias Direitos Reservados

 

With Love*

Tânia Sitoe