O Diabo Veste Prada II – O Encontro de Anna Wintour e Meryl Streep

 

Faz 11 anos que O Diabo veste Prada foi lançado pela primeira vez, mas fãs incondicionais como eu ainda não se fartaram de ver o filme vezes e vezes sem conta. Agora, especialmente para nós foi lançado algo novo, para juntarmos à obsessão – apenas um vídeo onde Meryl Streep chega aos escritórios da Vogue da vida real para se sentar com a própria Anna Wintour.
Para nosso deleite e saudosismo a primeira cena desenrola-se exatamente com a chegada de Miranda Priestly à revista Runway criando o verdadeiro pânico nos assistentes que rapidamente tentam por tudo perfeito e ao gosto de Miranda. A dupla também sugere o filme durante a entrevista. Wintour pergunta a Streep sobre a mulher mais desafiadora que ela já interpretou, e esta insinua que pode ter sido a própria Wintour (já que ela foi a inspiração para o personagem Sacerdotal). “Não, não vamos por aí, Meryl”, disse Wintour em tom de piada. “Isso não foi [desafiador] de qualquer maneira, isso foi divertido”, respondeu Streep.

 

Como fã incondicional do filme confesso que este vídeo disponibilizado no site da Vogue fez o meu dia!!

Fonte: Vogue

 

With Love*

Tânia Sitoe

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

6f à noite e agora???

Olá,

Em pânico porque hoje é 6f, tens uma saída logo e não fazes a menor ideia do que vestir??

Calma…

Na dúvida, aposta no preto! É simples, quase sem margem de erro e como diz o ditado, não te comprometes!

 

Have fun!!

 

With Love*

Tânia Sitoe

 

 

Emmy Awards 2017 Au Naturel

Olá!!

O cabelo natural afro está na moda como nunca esteve. O “movimento” que começou com algumas poucas pessoas espalhadas por aí actualmente é uma forma de estar, com o qual cada vez mais mulheres e homens se identificam, adoptam e usam orgulhosamente. Na verdade, nada mais natural do que isso, afinal o cabelo afro é tão natural como outro qualquer, apesar de não ter sido visto assim durante muito tempo…

E porque sou uma pessoa positiva vou passar frente dos contornos sociais, étnicos e históricos que fizeram com que nós mesmos africanos achássemos pouco bonito e elegante usarmos o nosso cabelo tal como ele é, e vou apenas celebrar e partilhar convosco o que muita gente reparou na edição deste ano dos Emmys Awards que  tiveram lugar passado domingo dia 17.

A passadeira vermelha dos Emmys 2017 recebeu uma série de artistas africanos que fizeram questão de marcar presença no evento com o seu cabelo natural. Celebridades tão conhecidas de todos nós como Gabrielle Union ou Uzo Aduba. Confesso que fiquei feliz e gostei de ver porque essas pessoas são admiradas e seguidas por milhões de pessoas, e querendo ou não, conseguem ser uma influência para o público. Para os adultos, mas também para os jovens que muitas vezes tem dificuldade em encontrar representação nos media. Step by step vamos conseguindo mudar mentalidades…

 

Eis as nossas queridas Afro Sisters

 

E como conseguiram este resultado:

Uzo Abuba:

Nai’vasha Johnson, a cabeleireira da estrela de ‘Orange is the New Black’,  teve como inspiração para este look o cabelo icónico de Diana Ross.

Queria que o cabelo da Uzo falasse de forma ousada e graciosa. Hidratei o cabelo dela com o Supershine Moisturizing Crème da Oribe e penteei-o até chegar à forma pretendida”, contou Johnson à ‘PeopleStyle’. “Depois amontoei pequenas secções do cabelo dela para criar dimensões e camadas de textura. Para terminar, usei a minha laca favorita, a Elnett da L’Oréal Paris”.

 

Yara Shahidi:

A jovem atriz de ‘Black-ish’ também foi penteada por Nai’vasha Johnson para a sua segunda aparição nos Emmy Awards.

Queria um look lustroso e elegante, e celebrar a textura gloriosa dela ao mesmo tempo”, disse Johnson à ‘PeopleStyle’.

Nai’vasha Johnson começou por aplicar uma “quantidade generosa” da Curl Shaping Mousse e do Rock Hard Gel, ambos da marca Oribe, no cabelo ainda molhado de Shahidi.

Escovei os produtos de forma homogénea para definir as ondas e caracóis dela”, continuou. “Depois usei o difusor até o cabelo secar e terminei com a laca Elnett da L’Oréal Paris”.

 

Gabrielle Union:

A atriz usou o cabelo num rabo-de-cavalo cheio e imponente da autoria do seu cabeleireiro, Larry Sims. Em janeiro, a atriz explicou à ‘PEOPLE’ que depois de vários anos a estragar o próprio cabelo com desfrisantes, decidiu celebrar a sua textura natural.

Passei por uma fase em que deixava o desfrisante no cabelo durante muito tempo porque pensava que o meu cabelo ficaria mais liso. Tive lesões, tipo feridas abertas no meu couro cabeludo a tentar atingir algo que era pouco realista, e eventualmente decidi desistir dos desfrisantes em meados da casa dos 20″, disse.

 

Para mim são uma inspiração para todas as mulheres que decidiram usar o seu cabelo tal como ele é.

O cabelo afro não é simples de cuidar e manter, exige dedicação, auto-conhecimento e perseverança, mas reunindo tudo isso o resultado é lindo. E eu adoro cada vez mais usar o meu afro todos os dias…

 

 

With Love*

Tânia Sitoe

 

Fonte:

People Style

 

Colecção Vans X Charlie Brown (Peanuts)

Olá a todos!

Estou em pulgas!!! Para os fãs da Vans, como eu, e que tambem adoram o Charlie Brown está pode ser a noticia do dia!! A nova colecção da Vans é para quem sempre quis ter os Peanuts nos pés e é fã destes destes desenhos animados. As ilustrações de Charles M. Schulz saltaram para os ténis da marca, dando nova vida às ilustrações clássicas dos anos 60, 70 e 80.

Além dos clássicos ténis da marca, as personagens de “Peanuts” podem ser encontradas também em peças de vestuário como camisolas, calças, meias, casacos, bonés e óculos de sol, entre outros, com Snoopy, Charlie Brown e os seus amiguinhos.

De acordo com a marca, a colaboração Vans x Peanuts combina “os elementos ‘Off The Wall’ com os icónicos momentos de ‘Peanuts’ que são fiéis à estética original de Vans”. A colecção já está disponível nas lojas oficiais da Vans em Portugal e na loja online da marca.

Eu PRECISO ter estes ténis!!! Não são lindos?!?!

 

Fiquem encantados com o resto… Eu estou in Love!!

 

FA17_Classics_Peanuts_Collection_Elevated
FA17_WAP_Collection_Elevated
FA17_Classics_Peanuts_SmackPearl_Collection_Elevated
FA17_MAP_Peanuts_Collection_Elevated_2
FA17_Classics_Peanuts_Mens_Collection_Elevated
FA17_Classics_Peanuts_Womens_Collection_Elevated (1)
B42YB2-HERO

 

Fonte: Vans Página Oficial

 

With Love*

Tânia Sitoe

12 Destinos Pelo Mundo para Apreciadores de Chá

O chá é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Se há muitos séculos começou por ser utilizado para uso medicinal, hoje é apreciado por milhares de pessoas das mais diferentes culturas, idades ou classes sociais.

A história do chá remonta há mais de cinco mil anos, na China. Posteriormente, o Japão começou também a consumir esta bebida e, mais tarde, chegou a vez da Europa. Portugal foi o primeiro país europeu a beber chá, trazido do oriente pelos seus navegadores.

Seguiram-se os holandeses, os primeiros a importar o chá da China, no início do século XVII. Em 1652, Catarina de Bragança (filha do Rei D. João IV e de D. Luísa de Gusmão) casou com Carlos II de Inglaterra, e apresentou-lhe a sua bebida preferida – o chá. Foi ela quem introduziu a tradição inglesa do chá. Depois de se ter espalhado pelos quatro cantos do mundo, esta bebida preparada através da infusão de folhas, flores e raízes de planta do chá comprovou os seus benefícios para a saúde e apaixonou milhares de pessoas.

Conheça 12 destinos para apreciadores de chá na Galeria.

12 Destinos para Apreciadores de Chá

1. Turquia

1. Turquia

2. Marrocos

2. Marrocos

3. China

3. China

4. Rússia

4. Rússia

5. Índia

5. Índia

6. Sri Lanka

6. Sri Lanka

7. Myanmar

7. Myanmar

8. Singapura

8. Singapura

9. Malásia

9. Malásia

10. Japão

10. Japão

11. Quénia

11. Quénia

12. Inglaterra

12. Inglaterra

 

  1. Turquia

Quando se trata do maior país do mundo a consumir chá, nenhum outro ultrapassa a Turquia: a sua população bebe o equivalente a quatro ou cinco chávenas por dia. O chá faz parte da cultura turca, por isso os seus apreciadores terão inúmeras oportunidades de o provar. Aliás, a hospitalidade turca obriga a isso mesmo – servir chá aos seus hóspedes. Se, por acaso, optar por ficar numa guesthouse o chá acompanhará, sem dúvida, as refeições. Os turcos gostam do seu chá preto e doce, servido num copo em forma de tulipa.

  1. Marrocos

Os apreciadores de chá ficarão fascinados pela arte da preparação do chá em Marrocos. O seu famoso chá de menta – o chamado Berber Whiskey – feito com chá verde, hortelã fresca e açúcar. Tradicionalmente, o chá é preparado e servido pelo homem de família, e muitas vezes considerado uma tradição a ser transmitida de geração em geração. Num país onde não se bebe álcool, o chá é o verdadeiro vício da sua população. Muitas riads (casas de hóspedes tradicionais) oferecem chá de hortelã aos hóspedes como forma de lhes dar as boas vindas.

  1. China

Com origem na China, o chá é «a» bebida chinesa. A tradição continua nos dias de hoje, existindo mais de dez mil tipos de chá . O preferido do povo chinês é o verde, mas terá oportunidade de provar muitas outras variedades. Os melhores locais para desfrutar de uma chávena desta bebida chinesa são as casas de chá omnipresentes encontradas por todo o país.

  1. Rússia

Graças ao seu clima frio, o chá é uma das bebidas preferidas da Rússia. Os hábitos de consumo de chá estão fortemente ligados à cultura tradicional russa – por exemplo, os russos exigem beber chá de uma espécie de chaleira tradicional, o samovar. O concentrado de chá, zavarka, é fermentado primeiro num pequeno bule, e depois diluído com água fervida do samovar. O chá é habitualmente servido após ou entre as refeições.

  1. Índia

Na Índia, o chá chai (chá preto com leite e especiarias) é consumido diariamente pelos seus habitantes. É vendido nas bancas de rua e nas estações de comboio, e servido nos restaurantes. Darjeeling é uma das cidades indianas preferidas dos apreciadores de chá. Opte por ficar entre as plantações de chá, aproveite para apreciar as vistas deslumbrantes sobre os jardins de chá e prove o chá aromático e delicado de Darjeeling. Outra paragem obrigatória é o Vale de Assam, muitas vezes referido como a «capital mundial do chá», graças à suas vastas plantações.

  1. Sri Lanka

O Sri Lanka é um dos maiores produtores e exportadores de chá preto e verde de todo o mundo. As plantações de chá nas montanhas de Kandy e Nuwara Eliya oferecem a possibilidade de provar as inúmeras variedades de chá cultivado no local e conhecer a complexidade da sua produção em primeira mão. Faça uma visita guiada por uma plantação, conheça as todas as suas instalações e termine o dia numa sala de degustação, onde poderá provar as novas variedades dos melhores chás de Ceilão que aí são fabricadas diariamente.

  1. Myanmar

Os birmaneses adoram chá. O chá verde é tão comum como a água, e o chá preto com leite condensado é um dos favoritos dos habitantes de Myanmar, sendo consumido de manhã e durante a tarde. Mas os birmaneses não bebem apenas o chá, eles também o comem. O lahpet – salada de folhas de chá fermentadas, tomate, sementes de sésamo, amendoins torrados e feijões crocantes – é uma das especialidades locais, que vai fazer com que aprecie ainda mais o chá.

  1. Singapura

Consegue sentir-se a influência inglesa na tradição do chá – Singapura foi uma colónia inglesa durante cem anos. Para além de ser servido nos melhores restaurantes do país, é também bebido durante a tarde, tal como o «chá das cinco», acompanhado de bolos.

  1. Malásia

Os malaios preferem chá forte, sendo que 80% do chá consumido no país é preto. O Teh tarik – chá preto, leite condensado e leite evaporado – é considerada a bebida nacional da Malásia. Habitualmente é servido aos visitantes para lhes dar as boas vindas, por isso terá oportunidade de provar as mais diversas variedades. Quando se fala de produção de chá na Malásia, a região de Cameron Highlands salta logo à vista. Localizada 1500 metros acima do nível do mar, nas montanhas do Titiwangsa, tem condições perfeitas para produzir chás fortes, saborosos e aromáticos.

  1. Japão

O Japão exporta apenas 2% das toneladas de chá produzidas no país. O chá é a bebida mais consumida no Japão e uma parte importante da cultura japonesa. Há inúmeros tipos de chá disponíveis no país, devorados pelo povo japonês que é um verdadeiro apreciador. O chá verde é o preferido da maioria e é servido muitas vezes de graça, durante ou depois das refeições. Os locais de cultivo mais conhecidos são Shizuoka, Kagoshima  e Uji. A «Cerimónia do chá», uma tradição japonesa, envolve a preparação e apresentação do matcha, um tipo de chá verde em pó.

  1. Quénia

O Quénia é um dos países que, para além de apresentar tours pelos safaris, oferece também visitas às cultivações de chá. O chá queniano é o principal produto exportado e a sua produção é uma das principais atividades, ao lado do turismo, da horticultura e da produção de café. A capital do chá é Kericho, que fica no sítio mais alto da Floresta de Mau.

  1. Inglaterra

O consumo de chá aumentou muito durante o início do século XIX, e foi mais ou menos nessa altura que Anna, a 7ª Duquesa de Bedford, se começou a queixar de ter fome entre o almoço e o jantar. Mais ou menos a meio tarde, lá para as 17h, pedia que lhe servissem chá, pão e manteiga. Este transformou-se num hábito seu e das suas amigas. Mais tarde, esta pausa para um chá acabou por se tornar um evento social e uma das grandes tradições inglesas. O chá faz, ainda hoje, parte do dia a dia dos ingleses, no Reino Unido.

 

Artigo Publicado em: Volta ao Mundo

Por Mafalda Magrini – Fotografias Direitos Reservados

 

With Love*

Tânia Sitoe